9 profissões que exigem alto nível de inteligência emocional

July 29, 2019

Agilidade para tomar decisões sob pressão, lidar com prazos apertados, reclamações, clientes insatisfeitos. Cada vez mais o mercado de trabalho exige que diversos profissionais tenham inteligência emocional. 

 

Conheça 9 profissões em que a maturidade emocional é colocada à prova:

 

1) Planejador de eventos

 

Organizar um evento de sucesso dá muito trabalho. Não basta preparar tudo com antecedência, é preciso lidar com imprevistos estressantes como fornecedores que não entregam ou atrasam pedidos, filas no credenciamento ou até mesmo reclamações sobre limpeza ou comida. A grande maioria destes profissionais passa longas horas sem dormir ou até mesmo comer para que tudo saia perfeito. A melhor forma de manter sua sanidade mental é ter sempre em mente o objetivo do evento. Os resultados que ele traz te fazem feliz? Apesar do estresse dos preparativos, vale a pena no final?

 

 

2) Treinador de times

 

Por trás de um grande atleta ou jogador pode apostar que existiu um treinador excepcional. O treinador é um profissional que precisa ter um alto nível de inteligência emocional para conseguir extrair a melhor habilidade de cada um dentro de um time e assim alcançar resultados em equipe. Ele trabalha constantemente sob pressão de todos os lados: da torcida, da diretoria do clube ou até de si mesmo. É importante aceitar os erros e fracassos nesta jornada e entender que eles fazem parte da construção do sucesso. A comunicação é outra habilidade emocional muito necessária para esta profissão.

 

 

 

3) Coordenador, Gerente ou CEO

 

Estes profissionais são responsáveis por tomar grandes decisões que afetam organizações inteiras. Mas é importante saber que, antes de se tornar um coordenador, diretor ou gerente de sucesso, é preciso aprender a se autoliderar. Ter autodisciplina, coragem, autoconfiança e humildade são essenciais para ocupar estas posições. Além disso, permita-se ter mais momentos para desacelerar a rotina estressante. Sem estes eles é praticamente impossível conseguir lidar com tanta pressão.

 

 

4) Policiais e bombeiros 

 

Carreiras que cumprem papel nobre para a sociedade como policiais e bombeiros também demandam grande nível de inteligência emocional. É bem óbvio aqui que o salário não é o principal atrativo dessas profissões, mas o propósito é seu principal motivador. Entre as características emocionais a serem desenvolvidas por ambos estão: coragem, disciplina e capacidade de trabalhar em equipe.

 

 

5) Médicos

 

Condições de trabalho precárias, com jornadas extenuantes, multiplicidade de atividades e  salários incompatíveis com o nível de responsabilidade são alguns dos desafios enfrentados pelos médicos no Brasil, segundo um estudo do Conselho Federal de Medicina. Não é raro ver muitos com depressão e crises de ansiedade por conta do trabalho. Por outro lado, o propósito e a satisfação ao exercer a profissão são seus pontos fortes. Para estes casos, vale seguir aquilo que os próprios médicos recomendam aos seus pacientes. Administrar o tempo para manter atividades de lazer, exercícios físicos e cultivar momentos com a família e amigos podem ser ótimas formas para prevenir doenças mentais mais graves.

 

 

 

6) Piloto

 

Pilotar um avião está entre as profissões mais estressantes do país. Um levantamento com 1.850 pilotos de diversas nacionalidades mostrou que 12,6% apresentam sintomas de depressão, sendo que quatro por cento admitiram ter pensado em suicídio semanas antes dessa pesquisa. Ficar longe da família por vários dias e ter que lidar com um alto nível de responsabilidade estão entre as principais causas do estresse. Desenvolver a autopercepção de emoções para saber controlá-las será um passo fundamental para estes profissionais.

 

 

7) Professor

 

66% dos professores já precisaram se afastar por problemas de saúde como ansiedade, estresse e insônia. O professor nada mais é do que o gestor de uma sala de aula. Ele precisa lidar com alunos de diferentes classes sociais, culturas e etnias. Isso demanda dele um alto nível de empatia, resiliência e comunicação destes profissionais. Promover métodos de ensino inovadores, que estimulem a criatividade e a colaboratividade dos alunos e aprender a gerir os sentimentos e emoções em sala de aula são seus principais desafios.

 

 

8) Profissionais de tecnologia

 

Muito procurados atualmente no mercado de trabalho, os profissionais de tecnologia também vivem rotinas estressantes. Em geral salário e plano de carreira não são um problema, mas sim a falta de tempo e as longas jornadas de trabalho podem contribuir para que eles se sintam sobrecarregados e infelizes. A autopercepção e a comunicação com certeza são as habilidades emocionais mais importantes para que estes profissionais aprendam a lidar com sentimentos e emoções.

 

 

 

9) Profissional de Recursos Humanos

 

Quem trabalha com Recursos Humanos costuma se sentir no meio de um fogo cruzado constante. De um lado os gestores ou as empresas, do outro os colaboradores. Cada um destes lados vê as situações de uma forma diferente (e muitas vezes contraditória) o que dificulta a gestão dos sentimentos e emoções pelo intermediador. Antes de lidar com questões complexas envolvendo estas pessoas, o profissional de Recursos Humanos vai precisar olhar para si mesmo, avaliar sua própria saúde mental e só depois partir para o desafio de se tornar um bom conciliador de conflitos.

 

Sua profissão também é estressante? Como você lida com isso? Compartilhe suas dicas aqui nos comentários!

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

O preço que você está pagando por suas escolhas está valendo a pena?

June 24, 2019

1/2
Please reload

Posts Recentes